Sidney Prado jul 28, 2020

Pandemia da Covid-19 cancela pela primeira vez, após 60 anos, a festa da Aparecidinha da Babilônia

Pandemia da Covid-19 cancela pela primeira vez, após 60 anos, a festa da Aparecidinha da Babilônia
Com informações do Padre Marcos Eduardo Coró, responsável pela paróquia de Santa Isabel e reitor do Santuário da Aparecidinha | Foto: João Sganzella

No dia 15 de agosto, feriado municipal, será realizada três missas virtuais para marcar a data religiosa que reúne 20 mil devotos.

A pandemia da Covid-19 é a responsável, direta, pelo cancelamento da tradicional festa religiosa dedicada a Nossa Senhora Aparecida da Babilônia, que iria acontecer no feriado municipal do dia 15 de agosto. Tudo por uma precaução para evitar o aglomeramento de pessoas. Neste dia, às 7h, às 10h e às 16h irão ser realizadas missas online para que os devotos possam acompanhar.
Desde 1866, anualmente, fieis visitam anualmente a imagem da santa, quando foi achada sob uma árvore após um incêndio destruidor na Babilônia. No local, foi construída uma igreja. E há aproximadamente 60 anos ocorre uma festa religiosa para marcar a data.
Simultaneamente, peregrinos caminham ao santuário durante toda a madrugada em uma prova de fé. Durante o dia 15, em uma ampla área, autônomos montam barracas e vendem alimentos e recordações, além de diversos produtos, fazendo com que aproximadamente 20 mil pessoas passem pelo santuário no dia comemorativo.
“Mas estamos atendendo as recomendações as autoridades sanitárias e optamos pela não realização da festa este ano”, disse o religioso. “A prevenção é importante e a orientação é que os fieis acompanhem as missas online. O santuário não irá receber os peregrinos”, reafirmou.
A não realização da festa, reconhece o padre Marcos é que afeta a questão econômica, uma vez que a festa é uma fonte de renda para o santuário e para autônomos que tinham uma oportunidade de realizar vendas que servem como sustento de suas famílias.
“Mas hoje temos que focar a saúde pública. Será também a perda de um dia de fé, de oração, pelo fato de o Santuário estar fechado. Mas temos que respeitar as autoridades sanitárias”, comentou.
“PEREGRINAR EM CASA”
Padre Marcos informou que o cancelamento da festa será uma oportunidade dos fieis peregrinarem em suas casas, em um exercício espiritual e de orações. É triste não termos um momento de adoração, de lazer, de diversão. Mas mesmo longe do Santuário, podemos viver a fé. Um momento de meditação e qual o significado de irmos à igreja”, ponderou.
2021
Sobre 2021, padre Marcos acredita que tudo volte à normalidade e a festa retorne com muita alegria e fé. “Acredito que iremos ter uma vacina que imunize toda a população e o dia 15 de agosto volte a movimentar o Santuário. A nossa expectativa é a melhor possível. Estamos otimistas”, finalizou o religioso.
Copyright ©2018. Todos os direitos reservados.