Sidney Prado abr 29, 2021

Morre aos 93 anos Padre Antônio Tombolato

Morre aos 93 anos Padre Antônio Tombolato

Com informações da Assessoria de Comunicação e Imprensa da Diocese de São Carlos | Foto: João Ap. Sganzella

Com pesar comunicamos o falecimento do Cônego Antônio Tombolato, aos 93 anos, acometido pela COVID-19. O comunicado foi realizado pelo Administrador da Diocese de São Carlos, Dom Eduardo Malaspina, em seu perfil oficial no Facebook, que ressaltou: “Agradecemos a Deus pelos 92 anos de vida e seus 63 anos de vida Sacerdotal. Em nossa Diocese de São Carlos prestou relevantes serviços, entre eles como Pároco da Paróquia de Santa Isabel e Santuário da Babilônia em São Carlos, por 42 anos. Cônego Tombolato, neste momento, alegra-se no céu e colhe os frutos de sua missão junto do Senhor que o chamou.”, escreveu o bispo.

Ele estava internado na unidade da Unimed no Hospital da Santa Casa de Misericórdia de São Carlos, desde terça- feira (27). Até o fechamento deste comunicado a assessoria de imprensa da Unimed de São Carlos, não nos enviou informações detalhadas a respeito do óbito.

Atualizando em 29/04 às 19h30: A Diocese de São Carlos, através da assessoria de imprensa, recebeu da Unimed São Carlos as informações a respeito do óbito do padre Antônio Tombolato, sendo confirmada a cauda da morte por COVID-19, ocorrido às 15h25.

Em breve atualizaremos acerca das informações sobre os ritos fúnebres.

Conheça o Cônego Tombolato

Cônego Antonio Tombolato nasceu em 22 de janeiro de 1928, na Fazenda São Vicente, propriedade dos pais, o italiano Juliano Tombolato e a brasileira Joana Cândida de Oliveira, entre os municípios de Brotas e Torrinha. A mãe morreu quando ele tinha apenas um ano de idade e do segundo casamento do pai nasceram às irmãs, Geni e Elisabete.

A vocação para seguir a vida religiosa surgiu na infância. Foi seminarista de 1943 até 1958, após a ordenação tornou-se presbítero na cidade de Matão.Em outubro de 1960, Dom Ruy Serra, trouxe o padre Tombolato para a Catedral de São Carlos.

ATUAÇÕES E CONQUISTAS

Um dos primeiros projetos desenvolvidos pelo padre foi a Polícia Mirim, que oferecia acompanhamento e ocupação para crianças. A fundação da Juventude Operária Católica (JOC), que desenvolvia projetos de assistência social, foi outra importante atividade do padre. O grupo condenava os desmandos dos patrões que exploravam os trabalhadores são-carlenses. Sempre atuante e participativo, durante a ditadura militar foi considerado por alguns um padre progressista e chamado até de comunista.

O envolvimento com a classe operária em defesa dos trabalhadores deixou marcas. Quando era padre da Catedral, apoiou a formação do sindicato dos metalúrgicos oferecendo salas da igreja para as primeiras reuniões e, ao contrário do que muitos pensam, ele garante que o bispo tinha conhecimento de tudo.

Nesta época, ele foi transferido para a paróquia de Vila Isabel, bairro que mais sofria com a falta de recursos e estrutura.

Foram 42 anos dedicados à paróquia que inclui o Santuário Nossa Senhora Aparecida da Babilônia, e até hoje a Vila Isabel é um exemplo de trabalho religioso aliado à assistência social. A firmeza na pregação e a adoração a Deus o fez conhecido também como um padre que expulsava demônios, fama que fez com que muitas pessoas, de vários bairros da cidade o procurassem.

Copyright ©2018. Todos os direitos reservados.