Sidney Prado maio 20, 2019

“Missa de Dedicação” é celebrada na Capela Sagrado Coração de Jesus em Araraquara

“Missa de Dedicação” é celebrada na Capela Sagrado Coração de Jesus em Araraquara

Com informações da Jornalista e integrante da PASCOM Nossa Senhora Aparecida de Araraquara – Daniela Silotto

 

Foi com grande alegria e fé, que a Paróquia de Nossa Senhora Aparecida, em Araraquara, vivenciou um momento sublime em sua vida comunitária: a Missa de Dedicação da Igreja e do Altar da Capela Sagrado Coração de Jesus, ocorrida no sábado à noite, 18 de maio.

 

Presidida pelo Bispo Diocesano, Dom Paulo Cezar Costa, pelo Padre Nelson Ramos, Ecônomo da Diocese e pároco da comunidade Nossa Senhora Aparecida, pelo vigário paroquial Willian Henrique e contando com a presença de diversos outros padres de nossa diocese, a celebração levou todos os presentes a um verdadeiro mergulho nos mistérios de Deus, por meio de um rito belíssimo, repleto de significados e simbologias.

 

Uma igreja pertencente a Deus

 

“Consagrar uma igreja quer dizer torná-la o espaço da comunidade cristã. Aqui existe uma comunidade de fé, que se reúne para ouvir a palavra de Deus, celebrar a Eucaristia, os Sacramentos, para rezar, para experimentar a presença do Senhor. Aqui está o sentido de consagrar a igreja: é torná-la pertencente a Deus”. Foi com essas belas palavras que Dom Paulo Cezar iniciou sua homilia, após cumprimentar e parabenizar o Padre Nelson, Padre Willian e toda a comunidade pelo trabalho intenso de reforma da Capela Sagrado Coração de Jesus.

 

Em sua explanação, Dom Paulo Cezar traçou paralelos entre as leituras do dia e o rito da Dedicação, fazendo com que cada fiel se aprofundasse na bela Liturgia do 5o Domingo da Páscoa.

 

Ao falar da Glorificação de Deus (Evangelho de São João 13,31-33a.34-35) ele lembrou que, muito diferente das “glórias do mundo”, que buscam holofotes e grandes reconhecimentos, a Glória de Deus se manifesta através de Suas obras, de Sua Salvação. Assim também é a Glorificação de Jesus, não forjada na vaidade, mas na doação, tendo seu ápice na Cruz.

 

“Estamos consagrando uma igreja, que deve ser o lugar da manifestação da glória de Deus. Mas não com os holofotes do mundo. A glória de Deus se realiza na escuta da Palavra, no Corpo e Sangue do Senhor. E aqui é o lugar que nos colocamos disponíveis para realizar as vontades de Deus.”, explicou. “E, enquanto vamos fazendo a vontade de Deus também na nossa vida, Sua glória vai acontecendo, e nossa vida se torna uma adoração a Ele”, ressaltou.

 

Ao falar sobre o Mandamento do Amor nos dado por Jesus, Dom Paulo lembrou a todos que não é um convite, é uma ordem do próprio Cristo. “O Mandamento do amor que Jesus dá é o imperativo da comunidade cristã. Não existe seguimento de Jesus sem amor. Não é um convite, é ordem. A gente cumpre. Vem de Jesus, Ele é o nosso mestre. Nós o seguimos e, por causa Dele, estamos aqui. Como foi que Jesus nos amou? Ele nos amou a ponto de dar por nós a própria vida. A cruz é “o como” Ele nos amou. Temos que amar a ponto de darmos a vida uns pelos outros. O amor não é opcional na vida da comunidade cristã, na nossa vida. O amor é ordem, por isso, tenho o dever de amar as pessoas. Comunidade cristã tem que ser a casa do amor. Somos conhecidos como discípulos de Jesus pela nossa capacidade de amar. A beleza do amor irradia, a beleza do amor salvará o mundo”, afirmou.

 

Ao finalizar, Dom Paulo ressaltou que a Igreja é a “Cidade de Deus”, que antecipa a Jerusalém Celeste aqui na terra. E que, como Povo de Deus, membros do Corpo de Cristo, nós caminhamos para o céu. “Nós vivemos na terra, mas tocamos a realidade do céu. Nós sabemos que a nossa morada definitiva é o céu, a Jerusalém Celeste, onde esperamos habitar. Na Igreja, celebramos a liturgia, prestamos culto. E, na igreja consagrada, tudo que acontece, deve nos colocar na dinâmica de Deus. Que todos aqueles que aqui entrarem, possam fazer a experiência do mistério eterno de Deus”.

 

Confira as fotos clicando aqui:

 

A Dedicação

 

Quando a construção de uma igreja chega ao fim, a celebração que marca a vida dela tem o nome de ‘‘Dedicação’’, que pode ser traduzida como consagração, sagração ou inauguração.

 

A Capela Sagrado Coração de Jesus, embora já tenha sido construída há muito tempo, não tinha sido dedicada, assim, após toda a reforma feita pelo Padre Nelson Ramos e comunidade, os fiéis puderam viver e experimentar este momento único e histórico: a Santa Missa de Dedicação e Sagração da Igreja e do Novo Altar.

 

Diversos são os ritos realizados durante toda a celebração. Tem-se a Bênção da Água e aspersão do povo e das paredes da nova igreja e do novo altar, em sinal de penitência, em memória do batismo e para purificação do templo.

Também é feita a prece da Dedicação e Unção da igreja e do altar.

 

Como é explicado aos fiéis presentes, os ritos de ungir, incensar, revestir e iluminar o altar manifestam, por meio de sinais visíveis, algo das obras invisíveis que o Senhor realiza através dos divinos mistérios da Igreja, sobretudo pela celebração da Eucaristia. Desta forma, é recordado o sentido das Pedras: nós somos o povo eleito, as Pedras Escolhidas, a Igreja Povo. Assim todas as partes da Igreja que a compõem: altar, bancos, cadeiras, presbitério, sala de batismo, Capela do Santíssimo, sacristia são a história do Povo de Deus.

 

Continuando o rito, tem-se a Unção da igreja toda, mostrando que, toda inteira e para sempre, ela está consagrada ao culto cristão. São 4 unções, nas quatro cruzes. Elas indicam a Nova Jerusalém que tem portas para todos os lados do mundo, ela se abre para todos os cantos e lados da cidade: Norte, Sul, Leste e Oeste.

 

Na Incensação, o incenso é queimado sobre o altar, simbolizando o sacrifício de Cristo, que aí se perpetua no mistério, subindo a Deus em odor de suavidade. Ele manifesta também que as orações dos fiéis chegam ao trono de Deus. Incensar toda a igreja indica ser ela agora, pela dedicação, uma casa de oração; mas, antes de tudo, incensa-se o povo de Deus, pois é o templo vivo, no qual cada fiel é um altar espiritual.

 

Realiza-se, então, o Revestimento do Altar, mostrando que o altar cristão é para o sacrifício eucarístico e mesa do Senhor. Ao seu redor, os sacerdotes e os fiéis, numa única e mesma ação, com encargos diferentes, celebram o Memorial da morte e ressurreição de Cristo e participam da Ceia do Senhor.

 

A iluminação do altar, seguida pela iluminação da Igreja, lembra-nos que Cristo é ‘‘a luz para a revelação aos povos”. Com sua claridade, resplandece a Igreja, e, através desta, toda a família humana.

 

E, após o Rito Eucarístico e Comunhão, tem-se a Inauguração do novo Sacrário.

 

Reforma da Capela Sagrado Coração de Jesus

 

A Capela Sagrado Coração de Jesus, pertencente à paróquia Nossa Senhora Aparecida, de Araraquara, passou por uma intensa e completa reforma de toda a parte estrutural de seu prédio.

 

Além disso, foi realizado um lindo trabalho de pintura do Presbitério e dos Painéis, realizados pelo arquiteto e artista sacro, Cristtiano Fabris, que encanta a todos que nela adentram. Verdadeiras obras de arte que contribuem para a vivência dos mistérios da Santa Liturgia.

 

 

 

Copyright ©2018. Todos os direitos reservados.