Sidney Prado maio 14, 2019

ETIQUETA NA SECRETARIA PAROQUIAL

ETIQUETA NA SECRETARIA PAROQUIAL

Por Pe. Robson Luiz Caramano de Camargo[1]

 

Há muito se escuta que a Igreja Católica, cada vez mais, tem buscado ser uma Igreja em Saída. Não é novidade para ninguém, desde o Concílio Vaticano II, que a Igreja busca dialogar com as realidades que estão ao seu redor, de modo específico com o mundo no qual ela está inserida. O secretariado paroquial ganha fundamental papel nesta Igreja em Saída. Uma vez que o (a) atendente, se vê na linha tênue entre o mundo de quem procura a Igreja e o mundo da própria instituição.

 

Bem por isso seu papel se caracteriza, determinantemente, como uma ação missionária na Igreja. É bem antigo o ditado que diz: “a primeira impressão é a que fica”, nela, também, encontramos a importância de refletirmos sobre a Etiqueta na Secretaria Paroquial. O agir do atendimento na secretaria da paróquia ou da comunidade não pode ser um agir pela própria cabeça, pelo que se acha ser o certo. Mas, antes de tudo, deve estar despido de adjetivos subjetivos, individualistas. O que nos ajuda a realizar um atendimento neutro e ao mesmo tempo profissional é, justamente, a etiqueta.

 

O termo etiqueta diz respeito ao conjunto de normas de conduta que proporcionam um protocolo a ser cumprido em determinadas realidades. E é bem isso que iremos falar aqui. É necessário existir um protocolo a ser cumprido no atendimento paroquial. Do contrário a secretaria se torna um lugar qualquer no qual se pode fazer o que bem quiser.

 

É bem verdade que o secretariado paroquial é um campo vasto a ser explorado e definido. Mas o que sabemos até aqui é que há muitas realidades desejosas de acertar e pretendemos dar aqui algumas pistas de como acertar nesta missão tão bonita de representar a Igreja lá na sua cidade, no seu bairro.

 

TRÊS PRINCÍPIOS DA SECRETARIA PAROQUIAL

  • Acolher
  • Servir
  • Encaminhar

A ACOLHIDA

É encantador sabermos que inúmeras pessoas têm retornado para Igreja por conta do Papa Francisco, o curioso é que a grande maioria destas pessoas nunca tiveram um contato físico, direto, com o Papa, no entanto, sua imagem construída e transmitida pelos meios de comunicação o fez pop. Se é belo por um lado, torna-se angustiante saber que estas pessoas retornam para Igreja no desejo de encontrarem a Igreja propagada por Francisco e, muitas vezes, se deparam com um cenário bem diferente do que se acreditou estar sendo a Igreja.

 

Bem por isso a acolhida que dispensamos às pessoas se torna fundamental e um dos pilares do bom êxito no secretariado paroquial. Vejamos alguns protocolos, genéricos, mas que podem nos ajudar a mantermos firmes este pilar do acolhimento.

 

ALGUNS PROTOCOLOS DE ACOLHIDA

  • Ir até as pessoas
  • Se apresentar às pessoas
  • Saudar quem chega
  • Demonstrar que aquela pessoa que está com você é a pessoa mais importante para você naquele momento
  • Se estiver ao telefone demonstrar que aquela pessoa que está na linha telefônica é como se estivesse ali, presente na sua frente
  • Saber no que você pode ajudar quem chega na secretaria
  • Saiba ouvir as pessoas
  • Ao falar algo se pergunte: “o que irei dizer é importante para esta pessoa?”
  • Não chame a atenção para si, você está lá para a missão que lá desempenha. É necessário bom senso no falar, no vestir, no agir
  • Ajudar as pessoas a concretizarem o objetivo fim de sua ida até a secretaria

O SERVIÇO

Nossa comunidade é composta por ministérios, neles cada fiel é chamado a servir na alegria. O serviço faz a comunidade acontecer e ganha força quando o servir se transforma em testemunho de vida para a paróquia. Não diferente na realidade da secretaria paroquial, lugar no qual quem ali serve está a serviço da comunidade. Seu trabalho reflete em todas as estruturas da Paróquia, possibilitando que o profissional do secretariado paroquial seja uma chave importante para a ação pastoral. Isso justifica a importância de um protocolo de serviço que nos ajudará a bem desempenharmos nossas funções.

 

ALGUNS PROTOCOLOS DE SERVIÇO

  • Ser atencioso (a) no que faz
  • Estar disponível no horário de serviço para servir
  • Ter agilidade
  • Ter organização e planejamento
  • Ser proativo
  • Saber dar feedbacks
  • Ser humilde – ninguém precisa saber tudo, mas todos podemos aprender sobre tudo
  • Ser objetivo e focado
  • Ser pontual
  • Ser comprometido

SOBRE OS ENCAMINHAMENTOS

 

Todos nós temos um objetivo na vida e pretendemos chegar a algum lugar. Para tanto, é necessário traçarmos uma rota, através da qual, iremos construir um caminho a ser trilhado por nós e por quem está junto conosco em nossa caminhada. Bem por isso quem está inserido na realidade do secretariado paroquial é convidado a se tornar um facilitador dentro da comunidade. Para nos ajudar a encaminhar algumas realidade segue alguns protocolos que podem nos auxiliar em nosso trabalho paroquial.

 

ALGUNS PROTOCOLOS DE ENCAMINHAMENTO

 

  • Não deixar ninguém sem resposta (presencialmente, pelos meios de comunicação social…)
  • Saber atender às necessidades que chegam na porta da secretaria
  • Direcionar as pessoas que procuram a secretaria (por e-mail, telefone, aplicativo, internet…) para as pessoas e lugares onde elas querem chegar
  • Ser um (a) facilitador (a) entre os fieis e as estruturas da Igreja.
  • Esclarecer as dúvidas de quem se achega até você
  • Se utilize de uma comunicação positiva
  • Não alimente fofocas
  • Seja prudente e atencioso (a)
  • Seja organizado (a)
  • Responda sempre positivamente à pergunta: “se eu morrer hoje quem assume meu lugar amanhã tem condições de dar continuidade no meu trabalho?”

 

Você pode perceber que os protocolos são abertos, bem porque, algo mais definido exigiria uma reflexão mais aprofundada e detalhada acerca do que pudemos observar aqui. No entanto, através destes protocolos podemos temos a oportunidade de otimizarmos nosso trabalho nas secretarias de nossas paróquias além de transformá-las em um ambiente extremamente missionário e evangelizador.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 

PUJOL, Enrique Perez; MADUREIRA, Aristides Luis. Comentários relativos à Legislação Canônica destinados ao secretariado paroquial. Uberlândia: A Partilha, 2011.

MADUREIRA, Aristides Luiz. Rotina Produtiva no secretariado paroquialorganização, inovação, criatividade. Uberlândia: A Partilha, 2018.

______. Secretariado Paroquial céu e inferno – como transformar o inferno em céu? Uberlândia: A Partilha, 2017.

PEREIRA, José carlos. A nova secretaria paroquial- organização, ´tecnicas e cuidados especiais na administração paroquial. Aparecida: Catholicus, 2016- (Coleção Nova Paróquia).

[1] Padre da Diocese de São Carlos graduado em Filosofia pelo Instituto de Filosofia Santo Tomás de Aquino e graduado em Teologia pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas; mestrando no Programa de Pós-Graduação em Linguagens, Mídia e Arte (Limiar), pela mesma instituição. Email: robsoncaramano@gmail.com

 

Copyright ©2018. Todos os direitos reservados.