Sidney Prado maio 7, 2021

Catequistas da Diocese participam de formação sobre: Comunicação e Catequese em Tempo de Pandemia

Catequistas da Diocese participam de formação sobre: Comunicação e Catequese em Tempo de Pandemia

Com informações da Coordenadora Diocesana de Catequese – Miriam Arradi Sichieri

Os coordenadores e catequistas da Comissão de Animação Bíblico-catequética, participaram de uma formação em nossa Diocese que foi ministrado pela professora Suzana Coutinho, formada em Comunicação Social, integrante da equipe da Revista Ecoando/ Paulus, assessora de movimento sociais, pastorais e movimentos da Igreja.

A Formação aconteceu nos dias: 08 de abril de 2021 – Vicariato Nossa Senhora do Patrocínio, 15 de abril – Vicariato São Carlos, 22 de abril – Vicariato São Bento e 29 de abril – Vicariato Senhor Bom Pastor, pela plataforma Google Meet, em média de 90 participantes em cada formação.

O tema abordado pela professora Suzana foi “Comunicação e Catequese em Tempo de Pandemia” que utilizou a metodologia “Ver, Iluminar e Agir”.

A Professora, refletiu com os catequistas os desafios que estamos enfrentando por conta da pandemia da Covid-19 e como desenvolver processos catequéticos autênticos, que ajudem as pessoas (crianças, adolescentes e adultos) a conhecer e seguir Jesus Cristo? O que se pode fazer? Como fazer? Com que meios?

Iluminando com a Palavra de Deus e Magistério, recordou-nos fala do Papa Francisco sobre o querigma “na boca do catequista, volta a ressoar sempre o primeiro anúncio: ‘Jesus Cristo ama-te, deu a sua vida para te salvar, e agora vive contigo todos os dias para te iluminar, fortalecer, libertar’” (EG n. 164). O catequista é o profeta nos dias de hoje, mesmo em tempo de pandemia que deve ressoar a Boa Nova às pessoas.

E ainda, afirmou que o catequista é um mediador que facilita a comunicação entre os catequizandos e o mistério de Deus, das pessoas entre si e com a comunidade (DN n. 172). A catequese é comunicação por excelência: anúncio da boa nova e que contamos com a assistência do Espírito Santo em todo este processo, “um acontecimento de graça, realizado pelo encontro da Palavra de Deus com a experiência da pessoa”( DN 195)

Fé e vida devem andar juntas, liturgia e caridade são inseparáveis, deste modo para testemunhar o Evangelho, explica o papa, “é necessária uma comunicação autêntica, fruto de uma interação real entre as pessoas”. (DC, 217)

Suzana fez algumas referências apontadas pelo DNC, entre elas a importância de formação de catequistas como comunicadores de experiências de fé, comprometidos com o Senhor e sua Igreja, com uma linguagem inculturada que seja fiel à mensagem do Evangelho e compreensível, mobilizadora e relevante para as pessoas do mundo de hoje, na realidade pós-moderna, urbana e plural (n. 14, “b”); aproximar a catequese dos meios massivos de comunicação, para o desenvolvimento de projetos de catequese a distância, com o adequado uso de recursos e metodologias apropriadas.

Padre Fabricio Rodrigues – Assessor Diocesano da Pastoral da Catequese na Diocese destacou que foi uma formação rica e de encorajamento principalmente neste tempo de pandemia:” Sabemos que é um tempo peculiar, que nada substitui o encontro presencial, porém temos como Igreja marcar a presença amorosa de Deus às pessoas, aos catequizandos e suas famílias, numa linguagem de amor, cuidado e solidariedade”, enfatizou o sacerdote.

“Agradecemos a todos os coordenadores que ajudaram na organização, bem como os que se empenharam de divulgar e participar desta formação”, concluiu o assessor.

Miriam Arradi Sichieri

Coordenadora Diocesana de Catequese

 

 

 

Copyright ©2018. Todos os direitos reservados.