Diocese mar 5, 2018

Bispo Diocesano fala sobre Leitura Orante da Sagrada Escritura em manhã formativa

Bispo Diocesano fala sobre Leitura Orante da Sagrada Escritura em manhã formativa

Da Redação, com informações de Padre Robson Caramano e fotos de Daniel Silva

Dom Paulo Cezar Costa, realizou nesta manhã de domingo (4), uma formação para Líderes e Lideres Auxiliares da Escola de Formação de Células da Paróquia São Nicolau de Flüe, em São Carlos.

O Bispo Diocesano, discorreu sobre os métodos da Leitura Orante da Sagrada Escritura, fundamentado no Documento Verbum Domini e, ressaltou, a importância da Leitura Orante da Palavra de Deus, na vida de cada discípulo missionário de Jesus.

Mais de 100 participantes tiveram a oportunidade de partilhar os desafios da Evangelização na Paróquia, além de, refletirem a importância das células para o trabalho de 2018, nesta comunidade paroquial.  Esta comunidade tem como Pároco Padre Eduardo Malaspina e como Vigário Paroquial Padre Robson Caramano.

O que é uma célula?

Paróquia em Célula

As Células são grupos de relacionamento constituídos de 8 até 15 pessoas que se reúnem semanalmente como uma família, e que têm o compromisso de participar nas celebrações e demais atividades da Paróquia, a comunidade maior.

Uma Igreja viva como as primeiras comunidades

No templo e pelas casas, esse era o modelo eclesial encontrado no Novo Testamento (cf. At 2, 46; 5, 42; 20, 20 etc.). Duas asas que, agindo harmoniosamente, levavam a águia chamada Igreja a alçar vôo, indo ao encontro da sociedade e anunciando-lhe o Evangelho.

Sobretudo após o século IV a Igreja foi deixando esse formato. Cada vez mais presente nos prédios cristãos (templos) e cada vez menos nas casas, o ministério foi ficando cada vez mais restrito aos ministros ordenados e os leigos tornando-se passivos espectadores. Conseqüência: não é difícil encontrarmos igrejas cheias de gente vazia, sem contar o anonimato que caracteriza as “comunidades” paroquiais. Faltam relacionamentos, interação e vida de corpo, sobram comportamentos intimistas de uma religião apenas vertical, ou o terrível hábito do consumo religioso (freguesia). Sem comunidade, como fazer missão?

Com a visão das células tentamos retomar o padrão que traz equilíbrio: templo (celebrações) + lares (pequenas comunidades) + ministérios (serviços).

A ideia é a seguinte: estar no templo para celebrar, estar na casa para a vivência comunitária e estar no mundo para servir com o Evangelho. Esse é o tripé ideal de uma paróquia articulada em células. Todos os fiéis, uma vez alcançados com o anúncio querigmático e conseqüente encontro pessoal com Cristo são discipulados (na sua própria célula, nos encontros pessoais periódicos com seu líder-discipulador e em cursos de formação permanente) e enviados à missão, engajando-se ministerialmente (nas pastorais) e vindo a assumir a liderança de novas células.

Confira as fotos:

 

Copyright ©2018. Todos os direitos reservados.