Semana Santa

0
897

23/03/2016

SEMANA SANTA

Por Eroniel Viana, Seminarista

Somos convidados a viver este mistério que nos salva e redime.

Semana Santa

Irmãos todos caríssimos, estamos mais uma vez adentrando em um período de profunda piedade e mistério, que é a semana Santa.  Realizado como memorial, este período marca o ápice da fé católica e é para os fiéis um convite para bem vivenciá-lo. Neste tempo propicio, é possível ver que o amor de Cristo por nós, remiu o gênero humano e deu glória perfeita a Deus. Dentro do seu mistério pascal: morrendo destruiu a morte e ressuscitando restaurou a vida.

O grande mistério pascal nos traz um belo e profundo ensinamento, ele nos mostra que a dor se transforma em alegria (Sl 126, 5; Jo 16, 20). Todo aquele que se disponde seguir o caminho da cruz, e que crê que abraça-la não é uma perda, ganha a bem-aventurança do amor, pois ao sofrer na carne as angústias, recebe o céu como prêmio. Todo aquele que entrega a sua vida por amor frutifica, tal como nos ensina o Cristo com suas palavras e ações (Jo 12, 24).

Para nós católicos, o Crucifixo e as cruzes que carregamos no peito, não podem ser reduzidas a uma mera lembrança da dolorosa experiência  do sofrimento de Jesus, como nos ensina o Apóstolo Paulo (Gl 6, 14); devemos perceber que por esta experiência nos chega a glória da ressureição, onde Jesus rompendo as trevas do inferno nos conduz à vida eterna. É por isto que devemos tomar consciência de que este sinal em nosso peito junto a nosso testemunho, pode e deve converter aqueles que ao nos olharem enxergam o Cristo vitorioso.

Um outro aspecto muito marcante que não podemos deixar de frisar, é a Humildade de Cristo, podemos perceber isto na entrada d’Ele em Jerusalém, ela é marcada pela simplicidade. Por ser o príncipe da paz, Jesus entra em Jerusalém montado em um jumentinho. Ele não entra com um exército. Por este motivo ele é reconhecido e aclamado por muitos como rei dos reis. Ali, o povo de Deus segurando seus ramos, dá testemunho da fé em Cristo e da vitória pascal.

Dentro da celebração da Vigília Pascal, fazemos uma analogia com a Páscoa judaica; onde o povo hebreu é tirado da escravidão do faraó e vai para a Terra Prometida; Jesus, em seu infinito amor, tira-nos da morte eterna, erguendo-nos da escuridão à luz, do jejum à festa. Toda a liturgia quer mostrar que o pecado que entra no mundo por meio de Adão, sai dele por meio de um Novo Adão, que torna nova todas as coisas.

O caminho da cruz é também a via da ressureição; é esquecimento de si mesmo para perder-se no Cristo.

Que neste período propicio para nossa conversão, e vivencia maior da fé, possamos ser guiados pelo espirito santo, a vivermos e sermos novas criaturas, uma vez que banhados pelo sangue do cordeiro somos levados a vida eterna.

Que Deus nos Abençoe, proteja e Ilumine!

Feliz Pascoa.

Deixe uma resposta