Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos

0
713

Padre Rene José de Sousa, Vigário Paroquial da Paróquia São Benedito , em São Carlos , fala sobre a preparação para a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos (SOUC), que este ano acontece entre os dias 28 de maio a 04 de junho. O tema central da Semana de Oração pela Unidade Cristã (SOUC) é “Reconciliação: É o amor de Cristo que nos move”.

Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos

Em clima de reconciliação, preferencialmente do interno para o externo, nos é proposto a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, que tem como tema: “Reconciliação: É o amor de Cristo que nos move ( 2 Cor 5,14-20)”, que será realizada nos dias 28 de maio a 4 de junho de 2017, onde  as igrejas são convidadas a se reunirem e rezarem pela unidade cristã.

Em meio as delicadezas de Deus, nosso Divino amigo no faz um singelo e gentil convite, o qual não podemos recusar, pois este nos insere em sua intimidade, no seio vivificante da Trindade Santa. Tal invitação encontra-se no Evangelho de João 17, 21 que diz: “Que todos sejam um, como Tu Pai, estás em mim e eu em ti. Que eles estejam em nós, afim de que o mundo creia que tu me enviaste.”

Diante de tal singeleza perceberemos que “a unidade em João procede de Deus, é Jesus que a cria comunicando a glória do Pai; é comunicação de vida partilhada com Deus e numa comunidade ou seja, não é fruto de agregação ou contrato social. A unidade se deve manter dentro do mundo frente aos perigos internos e externos”.

A unidade tem que ser visível, como reflexo de uma vivencia sincera e profunda dos membros de tal comunidade, não ficar engessada nos belos discursos que as vezes são vazios, mas ser externalizada no cotidiano, de modo que quem está fora olhe e diga: Vejam só como eles se amam.

Ao nos depararmos com o interno de nossas comunidades eclesiais, perceberemos grupos que praticamente se digladiam, sejam por visões teológicas que se diferem, eficiência ou superioridade de um rito para com o outro e com isso o anúncio do evangelho é prejudicado, pois grupos de uma mesma comunidade eclesial se atacam gerando cisões e se portando como inimigos, é necessário a “Igreja” estar unida internamente para que o mundo creia em sua palavra (Jo 17,20) que é a de Jesus, pois como sabemos “reino divido, por fim perece e não provém de Deus” (Mt 12,25), “deixemo-nos em nome de Cristo reconciliarmos com Deus” (II Cor. 5,20), pois caso contrário, perderemos de vista o nosso ponto de partida e também o de chegada.

Esta semana não é coisa inventada por quem não tem o que fazer, mas um pedido da Santa Mãe Igreja, o qual não podemos recusar.  “Quando os cristãos rezam juntos, a meta da unidade fica mais próxima.

A longa história dos cristãos, marcada por múltiplas fragmentações, parece recompor-se tendendo para a Fonte de sua unidade que é Jesus Cristo. Ele “é sempre o mesmo ontem, hoje e por toda eternidade” (Hb 13,8). Na comunhão de oração, Cristo está realmente presente; reza “em nós”, “conosco” e por “nos”. É ele quem guia a nossa oração no Espírito Consolador, que prometeu e deu à sua Igreja no Cenáculo de Jerusalém, quando a constituiu na sua unidade original (Ut Unum Sint,22).

Em sinal de busca e abertura por conversão, abramos nosso coração “a comunhão na oração, pois esta nos induz a ver com novos olhos a Igreja e o cristianismo e permite-nos voltar a verdade evangélica das palavras” Um só é vosso Pai” (Mt 23,9).

A oração ecumênica permite-nos descobrir esta dimensão fundamental da fraternidade em Cristo, que morreu para reunir na unidade todos os filhos de Deus que estavam dispersos “(Ut Unum Sint, 26).

Ao nos reunirmos com cristãos de outras denominações, em momento algum estaremos abandonando os ensinamentos da nossa Igreja para vivermos em paz com os demais, e nem juntando tudo na mesma panela e fingindo que não há diferenças e nem problemas, pelo contrário, “estaremos cultivando com todo ardor, o amor mútuo” (I Pd 4,8), que nos faz quebrantar o nosso coração para atingirmos o coração de Deus que nos pede a unidade, para que sejamos autênticos e fiéis a sua palavra e sinais de sua presença amorosa e libertadora em meio a esta sociedade que prega o individualismo e a cultura do descartável.

Em clima de oração, te convido para vir rezar conosco no dia 31 de maio às 19:30h, na Paróquia São Benedito (São Carlos), e no dia 02 de junho na comunidade luterana próximo a Toalhas São Carlos, afim de que os cristãos se reconciliem e se deixem levar pela amorosidade e humildade de nosso Divino Mestre, vivenciando a máxima da oração de Nosso Senhor “Que todos sejam um (Jo 17,21)”, afim de que o mundo creia em nosso testemunho e o anúncio do Evangelho não fique comprometido, devido a horrenda divisão existente entre os cristãos.

(Pe. Rene José de Sousa)

Foto: Divulgação

 

Deixe uma resposta