Pronunciamento do Cardeal do Rio de Janeiro

0
751

Por Assessoria de Imprensa da Diocese de São Carlos.

O Cardeal do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, publicou nesta manhã, 22, em sua rede social, uma carta aos fiéis da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro e ao Dom Paulo Cezar Costa, bispo nomeado de São Carlos.

Na carta o Cardeal expressa a gratidão pelo trabalho de Dom Paulo relembrando as oportunidades dos trabalhos conjuntos na evangelização. Escreve o Cardeal: “D. Paulo Cezar Costa, muito obrigado, em nome de nossa Arquidiocese, pela sua dedicação, unidade, interesse e missão alegre.”

Fez votos de que o novo bispo da Centenária Diocese de São Carlos pudesse desempenhar com ardor sua missão episcopal: “Irá iniciar a sua vida de Bispo Diocesano dentro do Ano da Misericórdia, jubileu extraordinário proclamado pelo Papa Francisco e que tanto bem tem feito à Igreja. Que seja também sua missão assim marcada por essa experiência misericordiosa”, ressaltou Dom Orani.

Confira na íntegra a carta emitida pelo Cardeal da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro:

Aos caríssimos

Irmãos e irmãs da

Arquidiocese de São Sebastião do

Rio de Janeiro

Ao caríssimo irmão

Paulo Cezar Costa

Bispo nomeado de São Carlos

Paz!

Hoje é anunciada a nomeação de D. Paulo Cezar Costa como o novo Bispo Diocesano de São Carlos, no Estado de São Paulo, Regional Sul 1 da CNBB, Província Eclesiástica de Campinas.

A nossa Arquidiocese acolhe com carinho essa nomeação feita pelo Papa Francisco, transferindo o nosso irmão bispo, até agora nosso auxiliar e titular de Esco. D. Paulo, com 49 anos de idade a completar em 20 de julho, 24 de sacerdócio a 5 de dezembro e 5 de episcopado já comemorados no dia 5 de fevereiro, assume uma nova missão na Igreja.

  1. Paulo optou por residir junto conosco nestes anos em que pudemos estar juntos, compartilhando as buscas e soluções para o nosso trabalho pastoral nesta grande cidade. Sua capacidade de estudos e seu trabalho de professor universitário nos ajudaram nestes anos de serviço apostólico. Foi grande sua missão durante a Jornada Mundial da Juventude, além de todos os trabalhos pastorais assumidos tanto na Arquidiocese, como no Regional Leste 1 e também na CNBB.

A missão na JMJ é um capítulo à parte e merece muitas considerações. Mas entre todas é justamente a conclusão que tiramos de todos os nossos trabalhos e lutas durante esse grande evento: vimos Deus agir. E para aqueles que viram por dentro todas as questões muito mais ainda. Muito obrigado, D. Paulo, pela sua unidade e partilha durante esse grande e belo momento em nossa Igreja, que comoveu não apenas os jovens, mas a todos de perto e de longe.

Os vicariatos que esteve acompanhando, assim como os demais trabalhos puderam sentir sua proximidade com as dificuldades e soluções das questões, e foi um membro participativo e opinativo de nossas reuniões de governo e de episcópio. Muito contribuiu com a nossa missão no pastoreio do Rio de Janeiro.

As iniciativas pastorais, educacionais e culturais, como o trabalho missionário e o pátio dos encontros foram algumas de suas marcas na colaboração da presença da Igreja na grande cidade.

A presença no Regional Leste 1 na comissão para os ministérios ordenados, OSIB e pastoral universitária marcaram sua presença na animação e incentivo desses trabalhos específicos.

Talvez uma missão não muito conhecida, mas de especial importância foi na área mais administrativa, com a presidência da comissão de recuperação do nosso patrimônio, acompanhamento da administração, economato e departamento jurídico da Arquidiocese.

  1. Paulo Cezar Costa, muito obrigado, em nome de nossa Arquidiocese, pela sua dedicação, unidade, interesse e missão alegre.

Agora seus olhos se voltam para o centro do Estado de São Paulo, que tão bem conheço, pois minhas origens estão ali próximas, na Diocese de São João da Boa Vista, e pela missão que desempenhei na Diocese de São José do Rio Preto, que, antes da criação da Diocese de Catanduva, fazia limite com São Carlos. Ali foi minha passagem de muitas viagens tanto para o sudoeste de São Paulo na época da vida monástica, assim como para a capital, na época do bispado de Rio Preto.

Será o 7º Bispo Diocesano de São Carlos nestes 108 anos de criação da Diocese. Ela foi criada por um santo: São Pio X! Leva o nome de outro grande santo, que marcou a história da Igreja: São Carlos Borromeu. Terá uma bela e importante missão como bom pastor do povo que lhe está sendo entregue, juntamente com os padres, diáconos, religiosos, religiosas, seminaristas, consagrados, consagradas e, em especial, os cristãos leigos e leigas que levam adiante com entusiasmo a vida como Igreja que anuncia a misericórdia do Senhor.

Irá iniciar a sua vida de Bispo Diocesano dentro do Ano da Misericórdia, jubileu extraordinário proclamado pelo Papa Francisco e que tanto bem tem feito à Igreja. Que seja também sua missão assim marcada por essa experiência misericordiosa.

Tenha certeza de que nós o acompanharemos com nossas orações e unidade. Estou convicto de que sempre saberá encontrar aqui em nossa casa o seu lugar de irmão querido, e que sempre se sentirá em sua casa e sua família. Como o senhor conhece a nossa realidade, peço que reze por nós e por nossas necessidades.

Tenho plena convicção de que o Senhor conduz a História, e, assim como nos conduziu até aqui, irá conduzi-lo em seus novos caminhos.

Que o Senhor o sustente, ilumine, conduza, guarde, proteja e lhe dê a sabedoria necessária para servir ao seu povo com alegria, e conduzir a todos pelo caminho da santidade.

Orani João Tempesta, O. Cist.

Deixe uma resposta