Papa retoma catequese com reflexão sobre Batismo e esperança

0
227

Da Redação, com Rádio Vaticano 

O Papa Francisco retomou nesta quarta-feira, 2, as tradicionais catequeses, suspensas em julho devido ao período do verão europeu. Como o forte calor ainda afeta o Vaticano, o encontro foi realizado na Sala Paulo VI e reuniu cerca de sete mil pessoas.

O tema da reflexão de hoje foi “Batismo: porta da esperança”. Francisco explicou que ser batizado significa ser chamado a difundir a luz da esperança de Deus neste mundo sem esperança.

“Nós acreditamos que o Espírito Santo age incansavelmente para o bem da humanidade e do mundo, e até mesmo as maiores dores da história serão superadas: esta é a esperança que nos desperta todas as manhãs!”

O Papa mencionou ainda um sinal da liturgia batismal que recorda a importância da luz, que é quando, ao final do rito, é entregue aos pais da criança – ou ao adulto batizado – uma vela, cuja chama é acesa no Círio Pascal, que na noite de Páscoa entra na igreja completamente escura para manifestar a Ressurreição de Jesus. “Daquele Círio todos acendem a própria vela e transmitem a chama aos vizinhos: neste sinal existe a lenta propagação da ressurreição de Jesus na vida de todos os cristãos”.

Francisco reiterou aos fiéis a importância de sempre recordarem o Batismo, data que marca o segundo nascimento: o primeiro é aquele da vida natural, o segundo é graças ao encontro com Cristo, na fonte batismal. “Ali somos mortos para a morte, para viver como filhos de Deus neste mundo. Ali nos tornamos humanos como nunca poderíamos ter imaginado”.

O Santo Padre destacou ainda a grande graça que é um cristão se tornar realmente “cristóforo”, um “portador de Cristo no mundo”, sobretudo para as pessoa que passam situações de luto, de desespero, de treva e de ódio.

“No futuro, quando for escrita a história do nosso dia, o que se dirá de nós? Que fomos capazes de esperança, ou que colocamos a nossa luz debaixo do alqueire? Se formos fiéis ao nosso Batismo, propagaremos a luz da esperança de Deus e poderemos passar para as gerações futuras razões de vida”.

Foto:  Reprodução CTV

Deixe uma resposta