Papa Francisco reza por pronta canonização de Dom Romero, diz Bispo salvadorenho

0
400

Na audiência realizada com a Conferência Episcopal de El Salvador, em visita ad limina ao Vaticano, o Papa Francisco expressou a sua oração por este país e pela pronta canonização do Beato Óscar Arnulfo Romero, segundo indicou um dos bispos salvadorenhos.

Entrevistado no dia 20 de março pelo Grupo ACI, o Bispo Militar de El Salvador, Dom Fabio Colindres, assinalou que os prelados salvadorenhos “estamos em uma visita ad limina apostolorum em Roma e na manhã de hoje nos reunimos durante aproximadamente duas horas de reunião com Sua Santidade, o Papa Francisco”.

Embora o Santo Padre não possa falar de “maneira decisiva” sobre a canonização do mártir salvadorenho, “não escondeu o seu desejo e a sua alegria para que isto ocorra em breve”, disse Dom Colindres.

Francisco também pediu aos bispos “que sigamos rezando e assegurou a sua oração por todo El Salvador” e pela canonização de Dom Romero.

Nascido em Ciudad Barrios, ao leste de El Salvador, em 15 de agosto de 1917, Dom Óscar Arnulfo Romero foi nomeado Arcebispo de San Salvador pelo Papa Paulo VI em 1977.

Seu governo pastoral se destacou pela defesa dos direitos humanos, em meio ao começo de uma guerra civil entre a guerrilha de esquerda e o governo.

Em 24 de março de 1980, Dom Romero foi assassinado por ódio à fé. No dia 3 de fevereiro de 2015, o Papa Francisco reconheceu o seu martírio e foi beatificado em 25 de maio do mesmo ano pelo Cardeal Angelo Amato, prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, em San Salvador.

Alguns dias antes da sua beatificação, Mons. Ricardo Urioste, um dos sacerdotes mais próximos do mártir salvadorenho, destacou que Dom Romero “foi servidor do Evangelho e nunca leu nada da Teologia da Libertação, mas leu a Bíblia”.

Em fevereiro deste ano culminou em El Salvador o processo de instrução de um testemunho sobre um possível milagre concedido por intercessão de Dom Romero e foi enviado a Roma.

Dom Fabio Colindres disse ao Grupo ACI que o Papa Francisco, “depois de uma saudação muito carinhosa e próxima, nos convidou para um diálogo informal, não programado, a respeito da realidade da nossa diocese e da Província Eclesiástica de El Salvador”.

“Todos nós falamos um pouco sobre as nossas preocupações e ele respondeu com muito carinho e paciência a cada uma das visões pastorais que temos e problemas pastorais em geral que mencionamos”.

O Santo Padre falou aos bispos salvadorenhos sobre “a importância da evangelização, da proximidade com as pessoas, do carinho, do cuidado amoroso e carinhoso com todos, especialmente os mais atingidos, com os mais necessitados, o carinho pelos sacerdotes, pelo clero e pela própria Igreja”.

“Naturalmente falamos muito sobre Dom Romero”, disse Dom Colindres, pois é um dos temas que o Papa “está interessado de maneira muito especial”.

Em seguida, o Prelado disse que também conversou com Francisco sobre o suposto milagre remetido ao Vaticano para ser estudado, que “parece estar em bom processo, em bom caminho, ainda não concluído, esperando que seja da melhor maneira”.

“O Santo Padre expressou o seu desejo de que em breve seja canonizado”.

“Não há datas para a canonização nem de uma possível visita do Papa a El Salvador”, disse, embora todos os bispos tenham expressado seu desejo de que “venha a El Salvador para a canonização de Dom Romero”.

De qualquer modo, o Papa respondeu sorrindo “com carinho e disse ‘vamos ver, já chegará o momento, não posso dizer uma data concreta’. Mas vemos nos seus olhos e em suas expressões o profundo desejo de que isto aconteça”.

Dom Colindres indicou que em 24 de março, dia em que se celebra o martírio do Beato Romero “ainda estaremos em Roma”, no último dia da visita ad limina.

“Em um primeiro momento, era o desejo do Santo Padre de que nesse dia os bispos de El Salvador concelebrassem uma Missa para recordar, encomendar e comemorar Dom Romero, mas não poderá acontecer neste dia”.

Mesmo assim, no dia 24 de março, os bispos salvadorenhos concelebrarão a Missa em Roma, centrada “na memória carinhosa de Dom Romero”.

Fonte: Redação Central

Deixe uma resposta