Papa conclui exercícios espirituais e compartilha história sobre meditações

0
689

O Papa Francisco concluiu na manhã de hoje os exercícios espirituais de Quaresma, do qual participou com os membros da Cúria do Vaticano durante esta semana, na cidade de Ariccia, agradeceu ao sacerdote que foi responsável pelas reflexões e compartilhou uma divertida história sobre a importância das meditações.

Em suas palavras de agradecimento dirigidas ao sacerdote franciscano Giulio Michelini, o Santo Padre recordou a história de um “grande pregador espanhol que, depois de uma pregação bem preparada, aproximou-se dele um homem –grande pecador público – chorando, pedindo para se confessar: confessou-se, tinha muitos pecados e lágrimas, pecados e lágrimas”.

“O confessor, surpreendido, porque conhecia a vida deste homem, lhe perguntou: ‘Você pode me dizer em que momento você sentiu que Deus tocou o seu coração? Através de qual palavra?’. ‘Quando você disse: ‘Passamos a outro argumento’ (risadas)”.

Às vezes, refletiu o Pontífice, “as palavras mais simples são aquelas que mais ajudam, ou as mais complicadas: o Senhor dá a cada um a palavra (justa)”.

Francisco agradeceu o Pe. Michelini “pelo bem que quis nos dar e pelo bem que nos fez. Primeiramente por se mostrar como é, com suas reflexões normais e naturais, sem artifícios, partindo das suas experiências pessoais: os estudos, as publicações, os amigos, padres, frades jovens que deve cuidar… tudo, tudo. Obrigado por ser ‘normal’”.

Em segundo lugar, continuou o Papa, “quero agradecer pelo trabalho que você fez, pela sua preparação, feita com responsabilidade e seriedade”.

“Há um monte de coisas para meditar. Mas, Santo Inácio diz que ‘quando alguém encontra nos Exercícios Espirituais algo que causa consolação ou desolação’ deve deter-se nisso e não ir adiante. Certamente, não encontramos uma coisa, mas tudo. O resto permanece e serve para a próxima vez”.

Finalmente, o Papa Francisco encorajou o sacerdote a “seguir trabalhando pela Igreja e na Igreja, na exegese e em tantas coisas que a Igreja te confia, mas sobretudo, desejo-te ser um bom frade”.

Fonte: News.Va

Deixe uma resposta