Missa em ação de graças pela formação de 60 Soldados Militares

1
826
Ação de Graças pela conclusão do Curso de formação dos 60 soldados (Foto: Pascom das Graças)

Aconteceu na última quarta (29), na Paróquia Nossa Senhora das Graças de Araraquara, Solene Missa em Ação de Graças pela conclusão do curso dos 60 Soldados da Polícia Militar de Araraquara, totalizando em 3.900 soldados no Estado de São Paulo, sendo celebrada pelo Padre Edson de Godoy, pároco da comunidade.

Agradecendo a presença do Capitão Rogério, e dos colaboradores Sub Tenente Galiane e os Sargentos Rossi e Eudes, disse Padre Edson em sua homilia: “estamos no tempo mais bonito da liturgia que é o Tempo da Pascoa, sendo acesa o Círio Pascal durante oito dias após a Pascoa depois aos domingos até o dia de Pentecostes. Ele foi aceso neste dia por ocasião da Formatura porque Jesus veio como Luz para todos os que creem e não vivem nas trevas, e hoje ela estará acesa no coração de cada soldado. Adão e Eva sabiam até onde podiam ir e Deus deu todos os dons e não lhes faltaram nada para que eles fossem as pessoas mais felizes, mas a desobediência entrou no mundo porque o homem quis medir forças com Deus sendo alto suficiente, prepotente, é ai que entra o pecado junto com a fome, o poder, a ganancia, o egoismo, o crime, a morte, etc. Deus lhes deu livre arbítrio e mesmo assim preferiram as trevas. Por isso precisamos de segurança e a primeira pessoa que nos dá isso é Deus, mas ele precisou dos policiais para ajudar a dar ordem na sociedade. A missão da Igreja é manter a ordem com o amor, e o mandamento que Jesus nos deixou: “Amai-vos uns aos outros como eu vos amei”. Se olharmos para a sociedade veremos o que Jesus viu e quem crê nEle viverá, mas quando o rejeita, tudo se destrói, se divide, e todos os tipos de crimes acontecem, que são pecados que continuam condenando o homem. A prova de Salvação de Jesus está na cruz. A Igreja conserva a cruz para mostrar de que maneira injusta Jesus morreu sendo condenado, mas Ele se sujeitou a isso porque não veio para condenar ninguém, somos nós mesmos que nos condenamos com nossas atitudes”.

Para finalizar, padre Edson deixou uma mensagem aos soldados: “Tudo o que forem fazer, nesta profissão que escolheram que é um sacerdócio, façam com cuidado e com amor e não deixem de ver que atrás de cada criminoso EXISTE um ser humano, que é um filho de Deus, mesmo que seja um pedófilo, um assassino, ele receberá penalidade, mas precisa ser olhado como um filho de Deus. Estaremos rezando por todos para que sempre seja promovida a paz”.

Fonte: Pastoral da Comunicação - Paróquia Nossa Senhora das Graças

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta