Lançamento da Campanha da Fraternidade na Região Pastoral 9

0
394
Centenas de pessoas participaram do lançamento (Foto: Pascom - Paróquia São Sebastião de Borborema)

Foi realizado na cidade de Itápolis, na Paróquia Santo Antônio e São Vicente o lançamento da Campanha da Fraternidade Ecumênica 2016 em nossa Região Pastoral 9. Este ano a Campanha é Ecumênica, sendo o Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (CONIC) responsável pela organização. O CONIC é composto pelas seguintes igrejas: A Igreja Católica Apostólica Romana; A Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil; A Igreja Episcopal Anglicana do Brasil; A Igreja Presbiteriana Unida do Brasil; e A Igreja Sirian Ortodoxo de Antioquia. Além dessas Igrejas três organizações participaram na Comissão da Campanha da Fraternidade Ecumênica 2016: O Centro Ecumênico de Serviços à Evangelização e Educação Popular (CESEEP), Visão Mundial, Aliança de Batistas do Brasil.

As Igrejas que integram o CONIC assumem como missão expressar em gestos e ações o mandato evangélico da unidade, que diz: “Que todos sejam um, como tu, Pai, estás em mim e eu em Ti; que também eles estejam em nós, a fim de que o mundo creia que tu me enviaste”(Jo 17,21). Seria importante mencionar também a contribuição da Misereor dos católicos da Alemanha para a CF 2016, que desde uma perspectiva de fé, significa também assumir a responsabilidade comum pelo futuro da Terra.

O objetivo principal CF será chamar atenção para a questão do saneamento básico no Brasil e sua importância para garantir desenvolvimento, saúde integral e qualidade de vida para todos.

A abertura do Lançamento foi feita pelo pároco Pe. Geraldo Francisco da Silva, que conduziu um momento de oração e mostrou o Hino da CF 2016.

Em seguida, Pe. Leonardo Nantes Jacomino, da cidade de Itápolis, fez uma breve introdução no texto base e explicou um pouco sobre o “Julgar” do documento da CF 2016. As reflexões sobre o saneamento básico contidas no texto base demonstram que esse é um direito humano fundamental e, como todos os outros direitos, requer a união de esforços entre sociedade civil e poder público no planejamento e na prestação de serviços e de cuidados. Por isso é uma Campanha Ecumênica, pois a questão do Saneamento afeta não apenas católicos, mas todas as pessoas, independente da fé que professem.

O abastecimento de água potável, o esgoto sanitário, a limpeza urbana, o manejo de resíduos sólidos, o controle de meios transmissores de doenças e a drenagem de águas pluviais são medidas necessárias para que todas as pessoas possam ter saúde e vida dignas. Por isso, há que se ter em mente que “justiça ambiental” é parte integrante da “justiça social”.

A escolha do texto de Amós (“Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca” – Amós 5,24) não é por acaso. Amós fundamenta sua pregação profética numa denúncia social aguda, chamando a atenção para um progresso econômico quer não de traduzia em igualdade e justiça para todos. Sua denúncia aponta para uma situação de caos social, onde as relações afetivas estavam se rompendo (Amós 2,6-8). Com suas denúncias, Amós revela que a fé em Deus estava sendo manipulada pela religião oficial (Amós 4,4-5). Deus quer justiça e dignidade para todos. Não apenas para Israel e Judá (Amós 9,7-8).

Após ver sobre o Julgar, o Pe. João Paulo Raimundo da Cruz, conduziu a uma reflexão sobre o “Agir” do texto base.

“Casa Comum, nossa responsabilidade”, é um tema que nos orienta a atuarmos coletivamente em favor da elaboração, implementação e acompanhamento dos Planos Municipais de Saneamento Básico. As responsabilidades são coletivas, porém diferenciadas: O poder público tem a tarefa de realizar as obras de infraestrutura, implementar o Plano Municipal de Saneamento Básico, garantir a limpeza do espaço público e fazer a coleta seletiva do lixo; os cidadãos tem a tarefa de não jogar lixo nas ruas e zelar pelos espaços coletivos.

Padre João Paulo fez algumas perguntas para refletir sobre a situação em nossas casas, bairro e cidade. “Em nossas casas, a água é usada com economia? Você se incomoda e denuncia quando vê um vazamento de água em sua rua? – Quando sai de um cômodo iluminado, tem o costume de apagar a lâmpada? – Qual o destino que você dá ao óleo de cozinha que não pode ser reutilizado? Em seu bairro, há rede de água encanada? – Há coleta regular do lixo? – Há o costume de cobrar das autoridades providência próprias do poder público? E agora nas nossas cidades, A água é de qualidade? – Há estações de tratamento do esgoto? Existem cooperativas populares de reciclagem dos resíduos sólidos? Quando há aprovação de projeto de construção de um imóvel, o esgoto é levado em consideração?
Para finalizar o encontro de lançamento, foi colocado como proposta durante a quaresma, cuidar da Casa Comum que Deus nos deu e fazer dela um lugar saudável, no qual a fraternidade e a justiça corram como rios de água viva. Que Deus nos ajude a viver com alegria e responsabilidade essa bonita missão! Como sinal desse compromisso, propomos que durante a Quaresma realizemos o esforço de evitar o consumismo e o desperdício dos alimentos.

Estiveram presentes no encontro centenas de pessoas de nossa região pastoral, padres, e também algumas autoridades da cidade de Itápolis, Prefeito Municipal, Carlos Augusto Biella, vice-prefeito, Ivanildo José Carlos, a Presidente da Câmara, Edmércia Micheletti Diniz e alguns vereadores.

Fonte: Pascom – Paróquia São Sebastião de Borborema

Deixe uma resposta