Há um ano Papa Francisco nomeava o 7° bispo de São Carlos

0
2378

Por Sidney Prado – Assessoria de Comunicação

Parece que foi ontem! Mas, hoje comemoramos um ano que acolhemos o bispo da nossa Diocese de São Carlos, Dom Paulo Cezar Costa, foi nomeado pelo Papa Francisco no dia 22 de junho de 2016 sua nomeação foi publicada no Jornal L´Osservatore Romano , ao meio – dia, horário de Roma.

Após saber de sua nomeação, Dom Paulo concedeu uma entrevista a Rádio do Rio de Janeiro, uma vez que estava naquela ocasião como Bispo Auxiliar da Arquidiocese do Rio, manifestando sua gratidão e para dirigir uma palavra a seu novo rebanho, “eu vou com toda disposição de estar em comunhão com todos os bispos da província(…) vou com o coração aberto desejando ser a presença do bom pastor”.

Disse ainda o bispo nomeado que “o grande desafio de um bispo quando chega em um diocese é conhecer este lugar, entrar nas diversas realidades da vida desta diocese (…) eu vou com o coração aberto (…) acredito muito naquilo que o Papa Francisco tem dito da cultura do encontro.”

De fato, no dia 06 de Agosto de 2016, às 10h na Catedral de São Carlos, Dom Paulo Cezar assumiu o seu governo na Diocese, com 124 paróquias, 165 padres diocesanos e 26 padres religiosos, 43 diáconos permanentes e 11 diáconos transitórios, mais 75 seminaristas. A população soma mais de 1 milhão e 200 mil pessoas.

Dom Paulo chegou com missão em ensinar, santificar e governar o povo de Deus e ele tem realizado seu governo com grande êxodo. Neste seu primeiro ano de episcopado, destacamos um Bispo presente na vida de sua Igreja Particular, a significativa marca desses primeiros trezentos e sessenta e cinco dias pode ser caracterizada em visitas pastorais às paróquias e comunidades religiosas, hospitais, casas de recuperação, instituições educacionais, delegacias de polícia, indústrias, sempre em contato com o clero para orientação e formação. O bispo refez alguns conselhos, chamando pessoas para o trabalho e valorizando o que cada um já vinha realizando. Nomeou párocos, vigários, administradores paroquiais e diáconos em nossa Diocese.

Recentemente, criou os Vicariatos Episcopais, instalou o Tribunal Eclesiástico e ordenou oito novos padres para nossa Diocese de São Carlos, além de ter crismado diversos jovens e adultos, fazendo com que a Igreja mostre seu rosto e deixe em cada Diocesano a mensagem do Evangelho. Promove, assim, de fato, o pedido do Papa Francisco – uma Igreja em Saída –, e incentiva cada batizado a se tornar efetivamente um discípulo missionário.

O Bispo

Nascido na cidade de Valença, no Estado do Rio de Janeiro, no dia 20 de julho de 1967, filho de Geraldo Manoel da Costa Amaral e Maria Alice Miranda Amaral.

Foi ordenado Presbítero no dia 05 de dezembro de 1992. Em 24 de novembro de 2010, foi nomeado pelo Papa Bento XVI Bispo Auxiliar da Arquidiocese do Rio de Janeiro, sendo sido ordenado bispo no dia 5 de fevereiro de 2011, na Catedral do Rio, pelas mãos do arcebispo Dom Orani João Tempesta. Escolheu como lema episcopal: “Tudo suporto pelos eleitos”.

Possui graduação em Teologia pelo Instituto Superior de Teologia da Arquidiocese do Rio de Janeiro (1991), mestrado em Teologia pela Pontifícia Universidade Gregoriana (1998) e doutorado em Teologia pela Pontifícia Universidade Gregoriana (2001).

Professor assistente da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Diretor do Departamento de Teologia da PUC-Rio, Professor e Diretor do Instituto de Filosofia e Teologia Paulo VI, Professor do Instituto Superior de Teologia da Arquidiocese do Rio de Janeiro. Na área acadêmica possui experiência na área de Teologia, com ênfase em Teologia Sistemática, atuando principalmente nas seguintes áreas: Cristologia, Patrologia e Trindade.

Como Bispo Auxiliar da Arquidiocese do Rio atuou como animador da Pastoral Universitária, como Bispo da Comissão Arquidiocesana de Aquisição de Terrenos e Evangelização, das Missões, da Academia Fides et Ratio e do Centro Cultural Dom Eugenio de Araujo Sales.

No Regional Leste 1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), foi eleito bispo referencial da Pastoral Universitária e da Comissão Regional para os Ministérios Ordenados e Vida Consagrada. É, também, membro da Comissão Episcopal Pastoral para a Doutrina da Fé na CNBB.

Na Jornada Mundial da Juventude em 2013 foi o grande articulador, responsável por todo evento no Rio de Janeiro.

Foto: Stéfano Fachina

Deixe uma resposta