Dom Paulo Cezar Celebra a Solene Vigília Pascal na Catedral de São Carlos Borromeu

0
931

Por Tadeu Germano. Assessoria de Imprensa. Crédito das fotos: João Sganzela.

Na noite Santa deste Sábado, 15 de abril, Dom Paulo Cezar presidiu a Solene Vigília Pascal na Catedral de São Carlos Borromeu. Segundo nos ensina o Missal Romano, esta Vigília vem de uma antiquíssima tradição: esta noite é uma “vigília em honra do Senhor” (Ex 12,42). Todos os fiéis são convidados a seguirem a advertência do Evangelho (Lc 12,35ss) em que devem manter nas mãos as lâmpadas acesas, como os que esperam o Senhor, para que ao voltar os encontre vigilantes e os faça sentar à sua mesa.

Abaixo acompanhe a foto reportagem dos principais momentos desta celebração:

 

Benção do fogo novo: Dom Paulo, após explicar em breves palavras o sentido da Vigília Pascal, realiza a benção do fogo novo, no qual é aceso o círio pascal.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Na preparação do círio pascal, Dom Paulo proferiu a seguinte oração: Cristo ontem e hoje. Princípio e Fim. Alfa e Ômega. A ele o tempo e a eternidade, a glória e o poder, pelos séculos sem fim. Amém.
Preparação do Cirio Pascal: após a bênção do fogo novo, Dom Paulo faz a preparação do círio pascal. Este que fica aceso em todas as Celebrações Litúrgicas até o Domingo de Pentecostes
o Diácono faz a solene apresentação do círio pascal à assembleia reunida.

 

 

Em sua homilia, Dom Paulo Cezar, destacou a importância desta Celebração para todos nós católicos. É através deste importante momento, que o Bispo diocesesano se dirigi aos seus fiéis para ensinar e motivar a todos no seguimento do Cristo Ressuscitado.
Liturgia Batismal: Presidida da Pia Batismal, é entoada a Ladainha dos Santos, onde após esta canto, Dom Paulo procede a Bênção da água batismal.

 

Renovação das promessas do batismo: “renunciamos a todas as seduções do demônio e professamos a nossa Fé em Jesus Cristo filho de Deus nosso Pai.

 

Vi a água saindo do lado direito do templo, aleluia! E todos a quem chega esta água recebem a salvação e proclamam: aleluia, aleluia!

 

Ele é o verdadeiro Cordeiro que tira o pecado do mundo. Morrendo, destruiu a morte, e, ressurgindo, deu-nos a vida. (Cf. Prefácio da Páscoa I)

 

Benção final: ” e vós que, transcorridos os dias da paixão do Senhor, celebrais com alegria a festa da Páscoa, possais chegar exultantes à festa das eternas alegrias”.

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta