Dom Demétrio preside missa da Assembleia do Regional Sul 1 em homenagem aos bispos jubilares

0
739
Missa no Santuário Nacional abre as atividades da 78ª Assembleia dos Bispos do Regional SUL 1 (foto: Michell Lima)

Os bispos do Regional Sul 1 (São Paulo) da CNBB iniciaram ontem (10), pela manhã, as atividades do segundo dia da 78ª Assembleia Ordinária, com a celebração da Santa Missa no Santuário Nacional.

A celebração que homenageou os bispos jubilares foi presidida pelo bispo da Diocese de Jales (SP) Dom Demétrio Valentini que completa 50 anos de padre e 33 anos de bispo.

Conduzindo a celebração Dom Demétrio agradeceu as comemorações em torno do seu jubileu e contou um pouco sobre a sua experiência como bispo, como tudo valeu a pena no trabalho junto a Diocese de Jales, já que está prestes a concluir o ministério a frente da diocese por ter completado 75 anos.

“O povo fica feliz em ver o bispo no meio das pessoas, isso também é especial para mim quando as pessoas vêm até mim e diz: ‘o senhor me crismou e agora está crismando meus filhos’, eu tenho essa felicidade de ter possibilitado esse tipo de alegria enstando presente no meio do povo”, contou.

Segundo dom Demétrio, quando recebeu a carta da Nunciatura Apostólica comunicando a sua nomeação como bispo da Diocese de Jales no dia 27 de maio de 1982, nunca tinha ouvido falar sobre a cidade, e na primeira participação da Assembleia dos Bispos da CNBB muito cumprimentado pelos bispos pela nomeação suspeitou que a diocese tinha algum problema.

“Na assembleia alguns bispos me cumprimentaram e um deles me parabenizou tanto que perguntei por que, ele disse que não tinha aceitado ir para Jales. Fiquei suspeitando que lá tinha algum problema, ao conhecer a realidade soube que a diocese só contava com dois padre diocesanos, ou seja não tínhamos um corpo presbiteral próprio, os demais padres que estavam lá eram holandeses e angolanos, ou seja logo mais iriam embora”, relatou.

Para dom Demétrio o trabalho em Jales valeu a pena, pois de agora em diante o próximo bispo já terá um trabalho pastoral iniciado e em andamento.

“O sinal mais eloquente de que valeu apena meu trabalho em Jales foi que quando eu cheguei eram 2 padres diocesanos agora são 40, temos propriamente um corpo presbiteral e que o próximo bispo que chegar poderá assumir a diocese com mais tranquilidade”, concluiu.

Por Valquiria Vilela (Portal A12)


Deixe uma resposta