CNBB inicia Assembléia Geral; entenda a reunião

0
914
Começa hoje a 53º Assembleia Geral dos Bispos do Brasil; este ano o evento elegerá a nova presidência da CNBB

A partir desta quarta-feira, 15, até o próximo dia 24, será realizada em Aparecida (SP) a 53ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). O evento aborda assuntos pastorais e questões que envolvem a vida das pessoas e da sociedade brasileira, na perspectiva da evangelização.

A Assembleia reúne todos os membros da Conferência, ou seja, todos os bispos que estão na ativa, tanto titular como auxiliares. Podem ser convidados os bispos eméritos e bispos não-membros da entidade, de qualquer rito, mas em comunhão com a Santa Sé com residência no Brasil.

A primeira Assembleia Geral foi realizada de 17 a 20 de agosto de 1953, em Belém (PA). O encontro teve a presença de vinte arcebispos do Brasil e ocorreu simultaneamente ao VI Congresso Eucarístico Nacional. A partir de 1967, a Assembleia passou a ser realizada anualmente.

Assembléia eletiva

A eleição da presidência da CNBB acontece a cada quatro anos. A última foi em 2011, de forma que esta Assembleia de 2015 será eletiva.

Em separadas votações, são escolhidos o presidente, o vice-presidente, o secretário-geral da Conferência e também os presidentes das Comissões Episcopais de Pastorais. A posse dos novos eleitos acontece antes do término do evento.

Em entrevista para o atual presidente da CNBB, Cardeal Raymundo Damasceno – que esteve no cargo de 2004 a 2008 e agora de 2011 a 2015 -, disse que, além da eleição, a 53º edição da Assembleia Geral dos Bispos do Brasil também será importante porque atualizará as diretrizes para os próximos quatro anos.

“Além da eleição, ela (Assembleia) também é importante porque nós vamos atualizar as atuais diretrizes para os próximos quatro anos. São as diretrizes que orientam o trabalho do secretariado-geral da CNBB, sua programação e também vai inspirar os planos de pastoral das dioceses ou das paróquias.”

Tema central

Dom Damasceno, que é arcebispo de Aparecida (SP) afirma que, devido às eleições, esta Assembleia terá apenas um tema central: as diretrizes.

“É apenas uma atualização das atuais diretrizes porque continuam válidas, mas precisam ser atualizadas à luz do magistério do Papa Francisco, sobretudo da exortação apostólica Evangelium Gaudium e dos seus dois discursos, por ocasião da Jornada Mundial da Juventude, um discurso aos bispos e outro ao CELAM.”

O presidente da CNBB disse ainda que neste ano haverá o segundo momento do Projeto Pensando Brasil, que foi inaugurado na Assembleia passada e que envolve assuntos relacionados à reforma política.

“Vamos agora apresentar um segundo momento desse Pensando Brasil. É um projeto que vai, a cada Assembleia, sendo aprofundado e acrescentado outros temas. Nessa Assembleia, vamos falar das desigualdades sociais do Brasil”.

Agradecimentos

Dom Damasceno considera sua missão como presidente cumprida e torce para que a nova presidência seja capaz de dar continuidade no que está sendo feito há tanto tempo.

“Faço votos que nós na Assembleia encontremos uma nova presidência capaz de prosseguir nos trabalhos da conferência, dando continuidade no que está sendo feito há tantos anos, sempre promovendo a comunhão entre os bispos e a comunhão com o Santo Padre.”

O cardeal conclui agradecendo a Deus, a todos os bispos e aos demais membros da presidência por esse último mandato de quatro anos.

“Só tenho que agradecer a Deus por esse mandato de quatro anos, os bispos, os demais membros da presidência, os bispos da comissão episcopais pastorais, enfim, todo episcopado e também assessores da CNBB, porque depende não só de um, mas de todos, o êxito do trabalho que fazemos.”

Escrito por Monique Coutinho (CN)

Deixe uma resposta