Arcebispo pede a políticos que não usem JMJ Panamá 2019 para fins eleitorais

0
440

Na homilia do Primeiro Domingo da Quaresma, o Arcebispo do Panamá, Dom José Domingo Ulloa, pediu aos políticos para não usarem a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Panamá 2019 para fins partidários, especialmente quando começarem as eleições gerais desse mesmo ano.

“Queremos que Maria proteja este evento das tentações com a sua presença, que certamente algumas pessoas terão durante as eleições, tanto de simpatia como de rechaço. A partir de agora, queremos dizer que não sejam mesquinhos com os nossos jovens, não instrumentalizemos este evento. Pensemos no Panamá”, disse Dom Ulloa em sua homilia durante a peregrinação a Jesus Nazareno de Atalaya.

Entre os participantes da Missa celebrada em Atalaya, em Veraguas, esteve o presidente da República, Juan Carlos Varela; o Ministro da Fazenda, Mario Etechelecu; entre outros funcionários do governo.

Dom Ulloa destacou que esta JMJ “é um projeto que supera o campo eclesial, político, religioso e cultural”, e, portanto, permite que o povo se una “longe da politicagem e do oportunismo”.

Desta forma – indicou – será possível “assumir a JMJ como nação, disposta a recriar as nossas diferenças como uma riqueza que nos permita estar unidos na diversidade de expressões de fé, cultura e etnia”.

Por outro lado, o Purpurado disse que os jovens terão “uma oportunidade de ouro” de ser os “verdadeiros protagonistas”.

“Vocês serão o rosto da Igreja e do Panamá; vocês terão a capacidade de se preparar para receber os jovens do mundo, neste pequeno e belo país”, assinalou.

Neste sentido, Dom Ulloa exortou os jovens a aprender as cinco línguas oficiais da JMJ: inglês, italiano, francês, espanhol e português; assim como aprofundar na história do seu país, da igreja, da comunidade e da sua paróquia.

“Quando terminar a Jornada, vocês não serão os mesmos, o Panamá não será o mesmo, porque com todo esse conhecimento terão outras opções na vida”.

“Mas serão verdadeiros protagonistas quando saírem a procurar aquela juventude afastada, em situação de vulnerabilidade, para que possam viver essa experiência de encontro com Jesus Cristo da mão de Maria com o Sucessor de Pedro”, assegurou o Arcebispo.

Em seguida, Dom Ulloa indicou que a alegria, vitalidade e hospitalidade devem prevalecer para que, quando os outros jovens olhem para vocês – inclusive os não crentes – possam dizer: “Vejam como se amam”.

Ao finalizar, exortou os jovens a não ter medo. “Atrevam-se a remar no mar, onde o limite seja o céu, um céu aterrissado na Terra, onde se constrói o Reino de Deus para peregrinar até chegar à Jerusalém celeste”.

“Digo-lhes novamente: ‘Hoje, os adultos precisam de vocês’, por isso ‘tenham coragem de nos ensinar que é mais fácil construir pontes do que construir muros’ e recordar-nos de encontrar a Deus ‘nos que têm fome, sede, naqueles que estão nus, nos doentes, no amigo que sofreu alguma desgraça, nos presos, nos refugiados, no emigrante, no vizinho que está sozinho’”, concluiu.

Fonte: Panamá

Deixe uma resposta