38ª Semana Teológia – PUC Campinas

0
295

Por Sidney Prado – Assessoria de Comunicação da Diocese de São Carlos

Com informações do Seminarista Junior Corrrêa

A Pontifícia Universidade Católica de Campinas e o Diretório Acadêmico São João XXIII promoveram, de 03 a 06 de outubro, a 38ª Semana Teológica com o tema: Maria, sinal de esperança para o Povo de Deus peregrino.

Com palestrantes renomados, a tradicional semana de estudos promoveu importantes reflexões sobra a figura de Maria, a Mãe de Jesus.

A abertura do evento aconteceu no auditório Cardeal Agnello Rossi, no CCHSA, com a apresentação de um Concerto Musical do Coro da Arquidiocese de Campinas, sob regência do maestro Clayton Dias, e a conferência de Dom João Justino de Medeiros Silva, Arcebispo Coadjutor de Montes Claros, MG. A temática da noite foi “Mariologia à luz do Concílio Vaticano II”, um estudo aprofundado do oitavo capítulo da Constituição Lumen Gentium. Além de Dom Justino, compuseram a mesa o Padre José Benedito de Almeida David e o seminarista da diocese de São Carlos, Jonas Rafael da Silva.

O segundo dia do evento trouxe à tona “O significado de Maria na sociedade atual: uma leitura à luz da Mariologia Social”, palestra ministrada pela professora pós-doutora Maria Clara Lucchetti Bingemer, da PUC-Rio. Bingemer proporcionou uma conferência abordando aspectos sociais da piedade popular. Abordou também a relação congênere de Aparecida e Guadalupe.

O professor doutor Rodrigo Portella, convidado da terceira noite, ministrou a conferência “Maria no mistério de Cristo e da Igreja: perspectiva bíblico-teológica”. De maneira didática, o professor levou ao auditório da PUC-Campinas uma mariologia bíblica e a delicadeza da mariologia em algumas obras de arte, esculturas e pinturas. A conferência teve como mediador o professor doutor Paulo Sérgio Lopes Gonçalves.

A penúltima noite do evento abordou “O Magnificat de Lutero: o cântico de Maria no diálogo inter-religioso”, com o reverendo Lauri Emílio Wirth. A palestra promovida sob a ótica do ecumenismo e do diálogo ecumênico marca dois grandes acontecimentos: os 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida e os 500 anos da reforma promovida por Martinho Lutero.

O encerramento da semana de estudos se deu no auditório Dom Gilberto Pereira Lopes, na manhã da sexta-feira, com a mesa-redonda: “A iconografia de Aparecida: da arte à devoção popular”, um estudo dialogal conferido pela doutora Maria Cecília Domezi, que abordou “Maria nas tradições populares” e pelo monsenhor doutor Rafael Capelato, pároco da Catedral de Campinas, SP, que abordou a iconografia.

A Semana Teológica é um acontecimento anual, promovido pela Universidade e pelos alunos, seminaristas das dioceses que compõe da província eclesiástica de Campinas

Foto: Diretório Acadêmico São João XXII

Deixe uma resposta